trekking

trekking

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Machu Picchu em Novembro




Eis uma viagem com um número gigante de dúvidas não solucionadas pela internet durante o planejamento. Primeiro porque seria em novembro, que assim como dezembro, janeiro e fevereiro, são os meses chuvosos, e não sabíamos o quanto isso poderia atrapalhar o passeio. Segundo, que gostaríamos de aproveitar o máximo de tempo possível, e justo a partir daquele ano o horário de entrada no sítio arqueológico estava sendo dividido em dois turnos. Ainda como se não bastasse o preço surreal de caro envolvendo toda a execução do passeio somente para Machu Picchu (MP), difícil decidir entre pagamento antecipado no cartão de crédito ou no local em dinheiro. Enfim, apesar de toda a preocupação e incerteza prévia, o resultado não poderia ter sido melhor. A viagem foi excelente.

Esta viagem foi feita em novembro de 2017, primeiro ano em que as regras de horário de entrada no sítio arqueológico de Macchu Picchu tinham mudado. Ou seja, a partir de julho daquele mesmo ano o turista teria que escolher se queria fazer a visitação no turno da manhã ou no turno da tarde, e não mais o dia inteiro como até anteriormente era permitido.
Poucos foram os relatos encontrados na internet sobre pessoas que fizeram a visita sob este novo regulamento. Mas estes poucos já diziam que o horário não estava sendo exigido ao pé da letra e que era possível passar um bom tempo dentro do parque o que foi verdade.
Nós entramos às 7h da manhã, descemos apenas uma vez para ir ao banheiro e comer, já que não se pode fazer nenhum dos dois dentro do parque, e encerramos nosso passeio por volta das 15h. Como estávamos dentro do parque, ninguém nos colocou para fora, mas talvez se tivéssemos descido mais de uma vez, ou senão perto do horário da saída ou depois do horário da saída, os porteiros poderiam barrar nossa entrada. Preferimos não arriscar.

Quando ao tempo, demos muita sorte mesmo, durante os 8 dias de viagem não pegamos sequer um chuvisco. Porém soubemos que uma semana antes tinha chovido muito. É o famoso risco, contudo acredito que dá para arriscar ir em novembro sim.

Quanto a visitar MP de manhã ou a tarde. Bem se for de manhã só para ver o nascer do sol,acho que não vale muito a pena, porque a chance de nublina é muito grande, como mostrado a baixo. Fora que terá que madrugar, sair sem tomar café da manhã,..

Visão do "nascer do sol" em Machu Picchu


Quanto ao planejamento da viagem a Machu Picchu, eu diria que se você não estiver indo em alta temporada, não vale a pena comprar antecipadamente os ingressos e passagens de trem no Brasil, com cartão de crédito. Primeiro que você vai pagar IOF, e como os valores são altos, isso se torna um valor considerável. Segundo que quando você mal chega em Cusco já tem milhares de locais te abordando para fechar pacotes turísticos, e eles já resolvem tudo, desde as passagens, guias, transfer até seu hotel ou até uma praça central e de lá você vai andando ou pega um táxi.Enfim, pelo que presenciei, para economizar um pouco, acho melhor comprar tudo lá, com dólares ou soles, este último eles converterão para dólares.



terça-feira, 17 de outubro de 2017

Santo Antônio do Pinhal - SP

Santo Antônio do Pinhal é uma pequena cidade serrana do interior de São Paulo distante da capital em aproximadamente 170km. É uma típica cidade para quem quer descansar, com várias pousadas charmosas com vistas para as montanhas e Mata Atlântica e com um centrinho turístico que se resume basicamente a uma avenida principal (Av. Min. Nelson Hungria).

Principal Avenida da Cidade:



Nesta avenida, que é basicamente a continuação da rodovia de quem esta chegando na cidade, se encontra a rodoviária, as duas igrejas, o centro de informações turísticas e vários restaurantes.

Vista da rua atrás da Av. Principal



Rodoviária de Sto Antônio do Pinhal:



Assim como em várias outras cidades serranas, é muito comum encontramos um peixe chamado Truta e em São Antônio do Pinhal não é diferente. Logo no início, na própria rodovia que entra na cidade, há vários restaurantes, entre eles o Santa Truta. Há estacionamento no local e é um lugar muito agradável com vista para a Mata Atlântica. No fundo do restaurante há algumas redes para o visitante descansar.


Santa Truta 

Possui uma árvore dentro do restaurante:



Uma das entradas: Linguiça de Truta


Truta com alcachofra:


Fundo do restaurante com redes:



O preço médio por prato a base de Truta neste restaurante foi de R$50,00 (out/2017). Dentro da cidade em restaurantes mais simples os preços começam a partir de R$30,00.

Outro restaurante que fica na mesma avenida do Santa Truta (Avenida Antônio J. Oliveira) é o Picanha & Pasta que fica dentro do pequeno Shopping Vilarejo. Os preços altos, e como as porções são pequenas, o prato individual não dá para dividir. A porção de arroz e picanha para duas pessoas, não lembro ao certo mas era em torno de 160 reais.

sábado, 9 de abril de 2016

Paraty - RJ

Trilha para a Praia do Sono


Para se chegar a linda e quase deserta Praia do Sono há duas formas: a pé, por uma trilha de 3km, ou de barco. Primeiramente é necessário sair de Paraty rumo a Trindade que pode ser de carro ou de ônibus. O ônibus (linha 1040 - viação Colitur.) sai de hora em hora da rodoviária de Paraty com destino a Laranjeiras. Para fazer a trilha desça no ponto final. Se for pegar o barco desça um ponto antes, no Condomínio de Laranjeiras.

O barco custa R$20,00/ pessoa/ida/volta e o ônibus R$3,40.

Você pode na ida ir por trilha e voltar por barco e vice-versa, pois vários barqueiros ficam atracados  na praia convidado as pessoas.



A trilha oscila entre subida e descida constantemente durante todo o trajeto. Para os não tão acostumados a andar é considerada um pouco puxada, mas para qualquer pessoa que aprecia este tipo de atividade é bastante tranquila, afinal andar três quilômetros dentro da mata sem pegar nada de sol é um luxo.






Como só dá para chegar de barco ou a pé a praia é bem vazia fora de férias e feriados.



Teatro de Bonecas


Foto do site: http://www.ecparaty.org.br/

O grupo Contadores de História de Paraty apresentam esse lindo Teatro de Bonecas (os personagens não falam) todas as quartas e sábados às 21h. No site diz que em épocas de temporadas e feriados eles também podem se apresentar às sextas-feiras. 

A peça em cartaz, acredito que permanente, se chama O Concerto, e se reveza entre algumas histórias. A da foto acima é a mais bonitinha na minha opinião, que mostra uma velhinha escolhendo feijão encabulada com o velhinho a observando.

Em abril/2016 eles vendiam os ingressos somente no local. Porém como é no Centro Histórico, quando estiver passeando por lá, dá uma passada e garanta o seu. Custa R$50,00 a inteira e R$25,00 a meia.

Endereço: Informações e bilheteria
Rua Dona Geralda, 327
Centro Histórico Paraty - RJ
(24) 3371 1575 / 3371-1161

sábado, 21 de novembro de 2015

Cinesala - Cinema em São Paulo

Uma sala de cinema com uma proposta diferente. Veja a foto!

Foto extraída do site do Cinesala

Endereço: Rua Fradique Coutinho, 361 - Pinheiros (zona oeste) - São Paulo/SP
Preços dependem se poltrona, sofá individual ou sofá duplo, variando de R$20,00 a 72,00 a entrada (inteira).
Mais informações no site deles: http://www.cinesala.com.br/